Reabrindo as escolas americanas: uma abordagem de saúde pública

Rendering of the 2019-nCoV virion. Dan Higgins, MAM/CDC/REUTERS

As escolas desempenham um papel essencial no desenvolvimento educacional e social das crianças e no funcionamento da economia. Precisamos reabrir as escolas o mais breve possível, mas precisamos fazê-lo com cuidado, priorizando a segurança dos alunos e suas famílias, professores e funcionários e a comunidade em geral. Nem todos os estabelecimentos de ensino poderão reabrir e a maioria deles terão que realizar mudanças—mas podemos oferecer a milhões de crianças em idade escolar uma educação segura e de qualidade se seguirmos diretrizes de bom senso.

A experiência em saúde pública pode ajudar funcionários e educadores a reduzir o risco de transmissão da COVID-19. Em particular, funcionários e educadores devem revisar as orientações do CDC dos EUA e calibrar suas precauções de acordo com a gravidade da epidemia local, reforçando as restrições quando houver disseminação pela comunidade e relaxando-as apenas se houver poucos ou nenhum caso. Além da disseminação do vírus na comunidade, funcionários e educadores também devem considerar quantas pessoas se reúnem nas escolas, em que proximidade, por quanto tempo, com que nível de ventilação e com que proporção usando máscaras. Os alunos mais novos, que são menos adaptáveis ao aprendizado remoto do que os alunos mais velhos, podem ter prioridade na frequência escolar presencial.

Este documento aborda algumas perguntas frequentes de educadores. A conclusão é que não há um caminho para risco zero de COVID-19 em um futuro próximo, mas podemos reduzir o risco com planejamento e precauções cuidadosas. Se seguirmos as melhores informações disponíveis, poderemos abrir mais cedo e com mais segurança.